sexta-feira, 20 de junho de 2014

Resenha

Mais uma postagem, agora uma resenha de um dos meus gêneros literários preferidos: mistério/policial, não, hoje não vai ser o Harlan e sim Agatha Christie, ela que até hoje faz sucesso com seus maravilhosos livros. Ainda almejo ter todos em minha estante. Então vamos aprofundar e viver em um livro de puro suspense com o detetive mais querido por ela: Hercule Poirot.
                         

Resenha do livro: " O natal de Poirot"


Autor: Agatha Christie
Ano de lançamento: 1938
Editora: Nova Fronteira
Páginas: 223 
Nota: 9,5/10,0
Sinopse: "Véspera de Natal. A reunião da família Lee é arruinada pelo barulho ensurdecedor de móveis sendo destroçados, seguido de um grito agudo e sofrido. No andar de cima, o tirânico Simeon Lee está morto, numa poça de sangue, com a garganta degolada. Mas quando Hercule Poirot, que está no vilarejo para passar o Natal com um amigo, se oferece para ajudar, depara-se com uma atmosfera não de luto, mas de suspeitas mútuas. Parece que todos tinham suas próprias razões para detestar o velho..."




    E como sempre Aghata me surpreendeu, novamente essa característica da autora me pegou de vez, descobrir quem é o culpado não combina com ela, mas uma coisa que podemos sempre perceber é que somos enganados, quando alguém é  colocado em evidência, mas mesmo lendo vários livros dela nunca iremos acostumar, pois nunca se sabe a verdade, não devemos esquecer de avisar que é uma narrativa muito sangrenta, e tudo se transforma em um cenário de horror, dos três que já li o mais violento de todos. 

   Para confundir ainda mais nossa cabecinha, temos a apresentação de cada familiar do morto ( Senhor Lee) uma das coisas que notei em seus livros são as explicações que ela gosta de ressaltar,  deixando-nos por dentro de cada minúsculo detalhe, então vem à tona mais segredos que podem fazer um, dois, todos culpados, não se sabe. 

   O que sempre me deixa irritada em livros como os dela é que você tem que montar tudo para não se perder, como tudo é narrado por Hercule no decorrer de tempo que a história se passa não sabemos se tudo aconteceu junto ou cada pessoa fez em determinado período. Tome cuidado pois sua cabeça vira um embrulho com tantas informações. Com certeza só tenho a elogiar essa escritora, você acaba se tornando o próprio detetive, impossível não se envolver na história. 

    Enquanto escrevia essa resenha pude notar que por ser a década de 30 não encontro diferenças para os livros de hoje, os dela conseguem ser ainda melhores, e por ser um cenário "escuro" ela consegue colocar uma pitadinha de ironia por parte do seu mais famoso detetive. Apesar de tudo não consegui dar um 10, mas na minha opinião às vezes coisas que são acrescentadas não são necessárias, entendo que tudo isso é para confundir o leitor mas com isso é formado um buraco na história. 


Mais um resenha finalizada leitores! Próxima parada é no blog e aqui esperem por mais um "Sobre o livro."  Espero que tenham gostado! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário